25 de fevereiro de 2020

Os ataques à Badgá e as Commodities

Em entrevista à jornalista Carla Mendes do Notícias Agrícolas, no início da semana lá quase que no final eu pontuei que o fato do acordo fase 1 estar pronto não significaria a certeza da continuidade de evolução das tratativas das demais fases e que Trump poderia se posicionar de forma antagônica e quem sabe colocar tudo o que foi conquistado na fase 1, a perder.

Pois bem, em menos de 3 dias dessa entrevista eis que os Estados Unidos promoveram um ataque aéreo na cidade iraquiana de Bagdá que resultou entre outros na morte do chefe da Guarda Revolucionária do Irã, o coronel Qassem Soleimani.

Tal ação causou polêmica generalizada e o dia de hoje foi regado a manifestações oficiais a favor e contrárias em todo o mundo, inclusive dentro do próprio território norte americano.

Deixando de lado o contexto histórico e ideológico dos fatos e também a justificativa de Trump ao decidir atacar Bagdá, vou aqui direto ao ponto e exponho um ponto nevrálgico : A Guerra Comercial ainda vigente entre Estados Unidos e China.

Enquanto vários países apoiaram o bombardeio, outros se posicionaram contrários, inclusive China que oficialmente condenou a ação militar dos norte-americanos e pediu bom senso às partes e em especial aos Estados Unidos.

Isoladamente, o ataque de imediato aumenta a tensão política entre os países envolvidos diretamente e amplia a onda de preocupação pelo posicionamento de seus aliados diretos e indiretos.

Certamente a escalada do estresse se dá pelo alto risco eminente de uma ação de revide ou retaliação por parte do Irã que inclusive já anunciou sua intenção. No caso de uma reação iraniana, as chances de outras ações por parte dos Estados Unidos aumentam.

Nesse sentido é natural que os mercados reajam de imediato com posições de compra de petróleo. não só pelo medo de uma guerra mas tambem pelo receio de um desequilíbrio no quadro de oferta do produto. Tanto que já durante os trabalhos na madrugada de hoje essa commodities subiu mais de 3,5%.

Em paralelo ao petróleo, metais nobres como o ouro costumam reagir positivamente. Um movimento simultâneo, os principais índices em bolsa pelo mundo afora perdem valor assim como algumas commodities agrícolas. Em tempos de conflitos e em termos genéricos são esses os ativos que mais perdem valor.

Agora a tendência natural dos investidores de se posicionar em determinados ativos em detrimento de outros, um outro importante fundamento que é a Guerra Comercial. Ao fazer isso chega-se logo à conclusão da real preocupação do mercado financeiro. Em tempos em que muitos países perdem com os conflitos entre chineses e norte-americanos, a possibilidade de China dar por encerrada as tratativas de paz com os Estados Unidos traz uma volatilidade extra aos trabalhos financeiros.

Até agora de concreto temos apenas declarações de Trump sobre a assinatura do acordo da fase 1 estar previsto para dia 15 de janeiro na Casa Branca em Washington. O mesmo acordo que segundo o próprio presidente norte americano era para ter ocorrido no final de dezembro e depois início de janeiro. Ou seja, não há nada oficializado até agora e mesmo que estivesse, a reação de contrariedade da China poderia fazer com que o encontro não venha a acontecer.

Em meu entendimento essa foi a razão que mais pesou no pregão da soja hoje em Chicago. Conversei com analistas de duas grandes casas financeiras em Nova York e o saldo da conversa foi o tom de preocupação de investidores globais sobre como os chineses se posicionarão nas próximas horas. Para ambos, Trump, em plena campanha à reeleição dos Estados Unidos pode ter criado um cenário para ganhar mais eleitores, ter unido o útil com o agradável para angariar votos dos cidadãos patriotas que não são nem democratas e nem republicanos.

Se isso foi realmente uma estratégia e se ele vai conseguir aumentar sua base sem perder votos do seu reduto tradicional, leia-se o reduto rural, é algo que somente saberemos nos próximos dias. Afinal o ataque aéreo rendeu perda de 2 dígitos nesse primeiro pregão na bolsa.

Ao alcançar as mínimas, o grão encontrou apoio comprador e esboçou uma leve reação, mesmo assim encerrou o dia com queda de 13 ½ centavos no contrato spot, cerca de pouco mais de 1% de recuo.

As cenas dos próximos capítulos podem ser conhecidas em breve e pode ser realmente em breve. esperamos o melhor mas estejamos preparados para o pior.

Saudações,

 

Adicionar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ajude a Dani! @danipraddo

Compre o seu Livro Mulheres do Agro

Jacto Talks: Os Desafios do Agro do Futuro – Assista ao vídeo

Missões 2020

Categorias

Ajude a Dani! @danipraddo

Compre o seu Livro Mulheres do Agro

Jacto Talks: Os Desafios do Agro do Futuro – Assista ao vídeo

Missões 2020

Categorias