26 de setembro de 2020

Pausa para o Cafezinho: Cafeicultora relata história da Fazenda do Lobo

A Coluna Pausa para o Cafezinho desta semana é sobre a história de paixão e tradição que atravessa gerações da família de cafeicultores da Fazenda do Lobo, comprometidos com as melhores práticas agronômicas e ambientais.
A Fazenda do Lobo está situada no Sul de Minas Gerais no município de Três Corações, uma região reconhecida pela beleza de suas serras e relevos, terra natal do rei Pelé.

Andréa Galvão Nogueira Foresti nos conta que esse amor pelo grão surgiu desde a sua infância, ela é a 4ª geração de cafeicultores de sua família, e relembra com ternura o início do seu trabalho com café ao lado de seu pai, e o quanto era envolvente as pessoas que trabalhavam com café, ela adorava observar o trabalho no terreiro e ajudar as pessoas, tinha enorme satisfação em fazer parte dessas atividades.

Resgata também com saudades e carinho uma frase do seu pai já falecido, que dizia que ela tinha que trabalhar com muita garra, determinação e humildade seguindo sua vida sempre pensando em Cristo, e assim Andréa segue firme os ensinamentos deixados pelo seu pai na cafeicultura, hoje ao lado do seu marido Marcos Paiva Foresti e seus filhos.

A fazenda foi adquirida em 1996 por Andréa e seu marido Marcos Paiva Foresti secretário municipal da agricultura e engenheiro agrônomo formado pela UFLA, e o nome da fazenda bem sugestivo, foi escolhido devido as recorrentes aparições de lobos, em especial, o Lobo-Guará, conhecido como semeador de árvores, sendo um dos símbolos do cerrado,e que infelizmente encontra-se em extinção na natureza.

Andréa celebra o envolvimento de todos os membros da família na cafeicultura, e conta que os filhos Cláudio Nogueira Foresti (Engenheiro Ambiental pela UFLA), Guilherme Nogueira Foresti (Administrador de Empresas pelo IBMEC), e o caçula Thiago Nogueira Foresti que está no último período na FUMEC em Belo Horizonte, mas devido a pandemia está fazendo aulas online,e ajudando os pais e os irmãos na fazenda.

A união e apoio de todos os filhos juntos este ano está sendo essencial, e Andréa também nos conta que eles estão cada vez mais apaixonados pela cultura cafeeira, e engajados em todos os processos na fazenda, focando em todos os detalhes,fazendo correções quando necessário, e por essa razão ela acredita que este será o grande diferencial desta safra, muito amor envolvido e foco na qualidade.

As lavouras da fazenda foram renovadas, proporcionando assim uma alta produtividade aliada a cultivares bem diversificados como Arara, Bourbon, Catuaí, Catucaí, Mundo Novo, Topázio, entre outras, a família também está sempre em busca de práticas sustentáveis o que refletiu na conquista de importantes certificações como UTZ, Rainforest Alliance e Certifica Minas.

A fazenda já ficou entre finalistas em diversos concursos da região, sendo a grande campeã no concurso da Minasul, em 2015, “isso nos trouxe motivação para produzir um café de qualidade, sempre visando em uma melhoria contínua com dedicação e humildade”, finaliza Andréa.

Ano passado iniciaram o processo de fermentação e tiveram bons resultados, este ano aumentaram em maior escala as fermentações e acreditam que boas surpresas ainda estão por vir.

Segundo Andréa, café é mesmo apaixonante, pelas suas histórias por trás de cada xícara, pelas pessoas que estão ao nosso redor, pelos funcionários, enfim são muitos momentos incríveis que a bebida nos proporciona, não existe monotonia para produzir café, cada ano é uma bebida, sabor e aroma diferente.

Ela também deixa um recado para os leitores, para que valorizem mais os cafés da região, se forem a um supermercado, padaria ou empório que possam dar preferência aos cafés do Sul de Minas, Mantiqueira de Minas, Alta mogiana, e do Cerrado mineiro.

Hoje já sabemos que a maioria dos nossos cafés são exportados para os Estados Unidos e Europa, então temos que valorizar os cafés especiais que ficam aqui no mercado interno, além de ajudar o pequeno produtor e pequenas empresas, eu garanto que vocês estarão tomando um café de altíssima qualidade, ressalta Andréa.

A família também possui a sua marca própria de café,o site está em desenvolvimento,mas o café da Fazenda do Lobo pode ser encomendado através do Mercado Livre ou em contato direto com os proprietários, e também pelas redes sociais Facebook (Fazenda do Lobo) ou pelo Instagram (@faz.lobo) através de delivery. Além, é claro, de pontos físicos na cidade de Varginha, Três Corações e região.

A paixão pelo café nos inspira a cada dia, proporcionando histórias emocionantes por trás de cada xícara, que possamos sempre valorizar todo esse empenho e carinho doado no campo, desses protagonistas que fomentam a nossa economia e nos trazem energia com esse aroma da felicidade todas as manhãs.
Quer conhecer mais sobre história da Fazenda do Lobo e seus cafés?

Instagram: @faz.lobo

Facebook: fazendadolobo

Uma ótimo fim de semana a todos, abraço e até o próximo e saboroso cafezinho.

Fonte: Blog do Madeira

 

*Lilian Trigolo

Coffee Lover-apaixonada pelo universo do café, e toda a sua cultura cafeeira, formada em Administração de Empresas com Ênfase em Comércio Exterior.

Instagram: @liliantrigolo
E-mail: lilianmg.trigolo@gmail.com

Adicionar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lenços do Agro 2020: Cadastro de Apoiadores

Clique na imagem e garanta o seu!

Setembro Amarelo

#oAGROporELAS

Campanha Máscaras Solidárias do Agro

Categorias

Lenços do Agro 2020: Cadastro de Apoiadores

Clique na imagem e garanta o seu!

Setembro Amarelo

#oAGROporELAS

Campanha Máscaras Solidárias do Agro

Categorias