4 de julho de 2022

A bagunça dos preços da Soja em Chicago!

Eu não sei para vocês, mas os números divulgados ontem pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, USDA, para a nova temporada de plantio norte americana, não fizeram muito sentido para mim!

A avaliação que fiz sobre os números, inclusive foi  divulgada por uma agência de notícias em seu relatório diário nessa sexta feira. Pela impossibilidade de compartilhar a matéria, vai aqui  um resumo dos principais pontos do reporte mensal:

Numa primeira análise ficou claro uma  essência altista, especialmente quando se foca nos dados de projeção do estoque final da safra 2018/2019. Enquanto o mercado processava estoques na casa de 540 milhões de bushels, o órgão surpreendeu ao divulgar 415 milhões de bushels. 

Em seu primeiro levantamento para a temporada, o órgão assume que os produtores de soja dos EUA plantarão 89 milhões de acres. A projeção é 1 milhão de acres menor que a divulgada no final de março. Naquela época, o USDA anunciou uma intenção de plantio de 90 milhões de acres tanto para a soja quanto para o milho.

Essa área menor, aliada a uma leitura de produtividade “conservadora” em 48.5 bushels por acre, equivale a uma safra menor que à esperada pelo mercado, causando impacto altista num primeiro momento.

Agora analisando Demanda e Consumo: O órgão aumentou discretamente a atividade industrial (esmagamento) e assumiu uma postura agressiva ao projetar aumento expressivo das Exportações de soja dos norte-americanos.

Agora me diga: Você não acha arrojado o fato do USDA ignorar completamente a atual guerra comercial estabelecida entre os EUA e China e aumentar o ritmo de exportação dos Estados Unidos na próxima temporada?

O órgão aumentou a projeção da demanda externa em 225 milhões de bushels equivalentes a 6.123 milhões de toneladas.

Paralelamente compare com o que o USDA projeta para a demanda de importação de China um aumento de 6 milhões de toneladas. Passa de 97 milhões da atual temporada para uma projeção de 103 milhões de toneladas, ou seja, uma correção de 6 milhões de toneladas.

Nesse comparativo você pode perceber que TODA a demanda extra da China está sendo  alocada unicamente para a origem americana. Seria possível com uma previsão de safra do Brasil de 117 e da Argentina em 56 milhões de toneladas que somente os EUA suprissem a demanda asiática?

Agora fica mais claro o porquê em meio a tantas incertezas vimos os preços da soja ontem subirem imediatamente após a divulgação dos números do USDA e na sequencia uma gradual acomodação durante o pregão e a continuidade de baixa dos preços no pregão de hoje!

Vendas semanais fracas com a clara postura dos chineses em situação favorável de negociação e no modo “deixar tocar o barco”  mostram que os EUA correm contra o tempo para compor uma espécie de trégua. Estamos chegando num limite para uma negociação amigável entre os 2 países. Inclusive com possibilidade da China inflexibilizar o tom das conversas refugando cargas já embarcadas ou então cancelando compras já realizadas anteriormente. ======= Desde pequena escuto que os chineses são exímios negociantes.  E eles podem usar de ferramentas que não usaram até agora para conseguir o que pretender.

Enquanto isso o Brasil aproveita a onda e repõe a soja que os vizinhos argentinos não conseguem ofertar e continuando o impasse, para a próxima temporada não será muito diferente, ainda mais com o dólar aqui mais firme. Além disso Argentina virá com tudo.

E mesmo assim, o USDA não trabalha com essa possibilidade mas o mercado trabalha. A queda dos preços hoje em Chicago foi de quase 20 centavos.

Apenas para ilustrar: O USDA projeta que o Brasil reduzirá a meta de exportação em 1 milhão de toneladas e a Argentina ampliará os seus embarques ao exterior em 3,8 milhões de toneladas, apenas repondo a quantidade que esse ano deixará de exportar devido à seca que dizimou a safra atual.

Daqui para frente será necessário acompanhar as condições climáticas nos Estados Unidos. No momento há alguns bolsões com início de seca no oeste de Illinois, sul de Iowa, Dakota do Norte e Missouri. Os trabalhos de plantio estão evoluindo rapidamente nos últimos dias, com níveis de umidade mais adequados em outras áreas. Ontem, quinta-feira, chuvas boas importantes foram registradas em vários estados do oeste do cinturão de produção.

Para aferir o que de fato qual será a área real da soja, é preciso que os produtores terminem de plantar o milho, cuja janela finaliza antes da soja. E até agora, início da temporada, já se falou de tudo : desde que iria migrar área de milho para a soja, ou que agora pode ser  plantado mais milho.

Então atenção senhoras e senhores, vamos monitorar o ritmo de plantio para tentar projetar qual será o número que o USDA divulgará somente final de junho.

Na safra atual o USDA elevou a safra atual de soja para 117 milhões de toneladas e baixou a da Argentina para 39 milhões.

No Brasil a CONAB –  Companhia Nacional de Abastecimento trabalha com uma produção de soja da safra 2017/18 de 116,995 milhões de toneladas. Alta de 2,6% frente ao ciclo anterior, quando o Brasil colheu 114,075 milhões de toneladas.

Adicionar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clique na imagem e garanta o seu!

Categorias

Clique na imagem e garanta o seu!

Categorias